Diabetes Tipo 2: Guia Prático Revela Tudo Que Você Precisa Saber

103
0. Diabetes Tipo 2

O diabetes é uma doença que, hoje, já afeta mais de 382 milhões de pessoas em todo o mundo, de acordo com dados da Sociedade Brasileira de Diabetes.

E a perspectiva é de aumento da incidência, já que se estima que em 2035 serão 471 milhões de pacientes.

Entre os motivos dessa maior incidência da doença na população estão o seu crescimento e o envelhecimento das pessoas, mas também a maior urbanização e o aumento dos casos de obesidade e sedentarismo.

No Brasil, dados recentes indicam que existem mais de 11.900 pessoas com a doença entre os 20 e 79 anos de idade.

Por isso, é importante entender essa doença, as suas causas e fatores de risco, bem como o jeito certo de prevenir e tratar o problema.

Para saber isso e muito mais, confira esse Guia Prático Revela Tudo Que Você Precisa Saber Sobre o Diabetes Tipo 2.

O que é Diabetes Tipo 2, suas causas e fatores de risco

1.O que e Diabetes Tipo 2

O diabetes tipo 2 é uma doença crônica que, basicamente, prejudica a maneira como o organismo metaboliza a glicose, que é a fonte principal de energia do corpo.

Assim, quem tem a doença pode ter a chamada resistência à insulina, ou seja, ela não funciona como deveria.

A insulina é o hormônio responsável por regular a entrada de açúcar nas células.

Quem tem o problema pode também não produzir insulina suficiente para equilibrar a quantia de glicose normal.

Quando isso acontece, o açúcar não vai para as células e se acumula no sangue.

Embora o diabetes tipo 2 possa atacar qualquer pessoa, existem os fatores de risco, ou seja, condições que aumentam as chances de cada pessoa desenvolver a doença.

Os fatores de risco são os seguintes:

  • Ter mais de 45 anos;
  • Estar com sobrepeso ou obesidade;
  • Ser sedentário;
  • Beber álcool em excesso;
  • Ter hipertensão;
  • Estar com os níveis de colesterol HDL baixos;
  • Estar com os triglicerídeos elevados;
  • Ter diabetes na gestação;
  • Ter histórico familiar da doença;
  • Estar com pré-diabetes

Sintomas do Diabetes Tipo 2 e diagnóstico

2. Sintomas do Diabetes Tipo 2

É comum que as pessoas com a doença não apresentem nenhum sintoma, mesmo que tenham diabetes por muitos anos.

Já quem mostra os sintomas, pode ter os seguintes:

  • Sede com frequência;
  • Fome com frequência;
  • Vontade de fazer xixi constante;
  • Feridas que não cicatrizam rápido;
  • Formigamento nos pés e furúnculos;
  • Infecções constantes, como nos rins e bexiga, bem como na pele;
  • Visão embaçada

Quando esses sintomas aparecem e as pessoas se enquadram em alguns dos fatores de risco é fundamental buscar ajuda médica o quanto antes.

Já para diagnosticar a doença é possível fazer uso de três exames de sangue diferentes.

São eles a glicemia de jejum, a hemoglobina glicada e a curva glicêmica.

Basicamente, esses exames avaliam como está o comportamento da glicose dentro do organismo, ou seja, a forma como está sendo metabolizada.

Com os valores de referência de cada exame, o médico pode avaliar a situação de cada paciente e prescrever o melhor tratamento, que pode variar de indivíduo para indivíduo.

Como tratar Diabetes Tipo 2 com exercícios

3. como tratar diabetes tipo 2 exercicios

Todos os tratamentos para diabetes tipo 2 têm o objetivo de diminuir os níveis de glicose no sangue do paciente, a fim de evitar que ele não passe por nenhuma complicação.

Lembrando que quando não tratada essa doença pode ser fatal.

Entre os principais tratamentos, destacam-se dois: os exercícios físicos e o controle da dieta.

No caso da atividade física, a sua importância está no fato de colaborar com a manutenção adequada dos níveis de açúcar no sangue, bem como com o emagrecimento, se for o caso.

Para tanto, é necessário que o paciente faça exercícios pelo menos três vezes na semana.

Porém, para que os resultados sejam alcançados é preciso que a diabetes seja monitorada, o que o médico ensina a fazer por meio de aparelhos manuais que medem a glicose do sangue.

Já a atividade física deve ser escolhida pelo paciente junto com o médico.

O melhor, de qualquer forma, são os exercícios leves, com gasto calórico moderado.

Caso contrário, se não houver a correta reposição dos nutrientes após o treino, pode ocorrer hipoglicemia.

Já o controle da dieta é outro tratamento para quem tem diabetes tipo 2.

O mais importante é saber quais os alimentos que ajudam a controlar a doença e quais devem ser evitados por serem maléficos ao paciente.

Como tratar Diabetes Tipo 2 com alimentação

4. como tratar diabetes tipo 2 alimentacao

Quem tem a doença deve, em especial, reduzir o consumo de alimentos ricos em açúcar, como é o caso dos doces, mas também dos carboidratos simples.

Ou seja, das massas, bolos e pães feitos com farinha branca, que possuem índice glicêmico muito alto.

Os alimentos de índice glicêmico baixo, por outro lado, são aliados dos diabéticos, pois eles demoram mais para serem digeridos.

Assim, retardam a absorção da glicose, sem o risco de se acumular no sangue.

Entram no grupo desses alimentos os grãos integrais, bem como as nozes, castanhas e outras.

Além disso, tudo deve ser ingerido com moderação e acrescentar ao cardápio legumes, verduras, frutas e proteínas magras todos os dias.

Cuidados e como prevenir o diabetes Tipo 2

Além da alimentação e de exercícios adequados, o paciente deve ter alguns cuidados, como o de verificar a glicemia de acordo com as recomendações médicas.

É necessário ainda não exagerar no consumo de bebidas alcoólicas e evitar saunas e escalda pés.

Outros cuidados são com os olhos e com a saúde bucal, controlar o estresse e evitar o tabagismo.

Já para evitar o diabetes, é preciso manter o peso adequado, não fumar, controlar a pressão arterial, fazer exercícios e se alimentar adequadamente.

Também é indicado evitar remédios que agridem o pâncreas.

Quando os cuidados não são tomados e os tratamentos não são realizados, pode haver complicações graves que chegam a levar os pacientes a óbito.

Entre as complicações possíveis estão:

  1. retinopatia diabética
  2. arteriosclerose
  3. nefropatia diabética
  4. neuropatia diabética
  5. pé diabético
  6. infarto do miocárdio e AVC
  7. infecções
  8. hipertensão e baixa qualidade de vida.

Além disso, vale lembrar que todas essas recomendações são importantes para a qualidade de vida de qualquer indivíduo.

Diabetes Tipo 2: Guia Prático Revela Tudo Que Você Precisa Saber
Avalie este post!
COMPARTILHAR