Skip to main content
Dieta do Carboidrato faz perder peso

Dieta Do Carboidrato (Proteína) – Guia Revela Tudo Que Você Precisa

A dieta do carboidrato também é chamada de dieta da proteína ou dieta Atkins, já que foi o cardiologista norte-americano Dr. Robert Atkins que desenvolveu um cardápio com o mínimo de hidratos de carbono nos anos 1970 e difundiu as suas vantagens.

Existem outros nomes que podem ser dados para essa dieta, mas o seu princípio é o mesmo: eliminar ou ao menos reduzir ao máximo os alimentos ricos em carboidratos.

As mudanças nas refeições exigidas por essa dieta costumam ser difíceis de promover, já que, no Brasil, assim como em muitos outros países, os carboidratos fazem parte de todas as refeições do dia. Entre os alimentos carboidratos mais consumidos estão os pães, bolos e massas de farinha branca, arroz branco, ente outros. Veja:

Carboidratos complexos vs Carboidratos simples

No entanto, é importante saber distinguir os carboidratos complexos dos simples. Enquanto os primeiros são os alimentos integrais, como a farinha de trigo integral, aveia, cevada, arroz integral e outros, os carboidratos simples são os alimentos que passaram por processos industriais e reduziram em muito a sua quantidade de nutrientes.

A farinha e o arroz branco são bons exemplos. A sua superfície é branca, ao contrário das versões integrais, porque foram polidos a ponto que reduzem apenas a calorias vazias, ou seja, sem benefícios nutricionais. Essa distinção é necessária para entender que, na medida certa, os carboidratos complexos são essenciais para o organismo.

Entre outros motivos, porque eles são a fonte de energia primordial do organismo. Quando você entende que nem todo o alimento rico em carboidrato é um vilão para as dietas, fica mais fácil de responder a pergunta: será mesmo que a dieta do carboidrato é o bam-bam-bam da perda de peso?

Embora seja uma alternativa de emagrecimento usada por muitas pessoas, é possível emagrecer comendo carboidratos nutritivos e sem exagero. No entanto, se você quer eliminar esse nutriente da sua dieta deve saber como funciona a dieta do carboidrato, efeitos colaterais, contraindicações, cardápio e demais características.

Então, continue aqui comigo para entender tudo isso. Veja:

 

Saiba quais são os alimentos com carboidratos

As massas, pães e biscoitos são os alimentos com carboidratos que possuem o nutriente em maior quantidade. As leguminosas, como feijão, lentilha e grão de bico, também contam com quantias maiores de carboidrato, bem como batata e batata doce, entre outros alimentos. No entanto, existem muitas outras fontes de hidratos de carbono.

Frutas e legumes também possuem carboidratos, mesmo que em quantias reduzidas, por isso, o seu consumo é restrito na dieta do carboidrato.

Já as carnes, queijos e ovos, embora sejam fontes principais de proteína, contam com pequenas porcentagens de hidratos de carbono, mas como os níveis são baixos, são esses alimentos os principais atores da dieta sem carboidrato.

Quanto aos carboidratos integrais mais saudáveis é possível eleger:

  • A aveia
  • Cevada
  • Centeio
  • Quinoa
  • Milho
  • Arroz
  • Amaranto
  • Entre outros.

Mesmo assim, em alguns momentos eles são completamente eliminados da dieta. Viu só como a lista é longa? Não seria muito mais simples apenas consumir com moderação esses alimentos ou invés de eliminá-los completamente? Pense sobre isso.

 

Como fazer a dieta carboidrato

Quem pretende fazer a dieta carboidrato deve saber como ela funciona muito bem, para seguir todas as suas fases, que são quatro ao total. Ao pular uma das etapas você pode colocar tudo a perder, por isso, a recomendação é que o método seja seguido ao pé da letra.

Também é necessário fazer algumas considerações sobre esse método de emagrecimento. Como se trata de uma dieta que vai fazer o organismo mudar a forma como produz combustível ela não deve ser temporária. A dieta do carboidrato exige que a pessoa agregue o método a sua vida de forma contínua.

 

Não indicado a pessoas com problemas renais

Porém, é contraindicada a pessoas com problemas renais, pois a maior ingestão de proteínas exige que os rins trabalhem de forma dobrada. Também não é indicada a pessoas ativas, inclusive, que fazem exercícios físicos, porque nas primeiras semanas é normal o corpo ficar fraco.

Quem faz exercícios e deseja começar a dieta do carboidrato pode reduzir o ritmo de atividades, no entanto, é importante conversar com o seu médico e mesmo com um nutricionista. Especialistas indicam o consumo de suplementos com vitaminas e minerais para quem fizer a dieta não sofrer com a redução nutricional.

 

4 fases da dieta

A dieta do carboidrato conta com quatro fases. Na primeira, a Fase de Indução, que tem duração de 15 dias, não se deve ingerir nenhum alimento rico em carboidrato. Dessa forma, a pessoa pode comer apenas carnes, ovos e queijos, além de pequenas porções de vegetais com pouco carboidrato três vezes ao dia.

Por outro lado, não se podem comer frutas, apenas abacate (em quantidade reduzida), nem cereais, leguminosas e tampouco ingerir bebidas alcoólicas.

Na segunda etapa, a Fase Perda de Peso Contínua, a dieta continua muito semelhante à fase um, com a diferença que um pouco mais de carboidrato pode ser consumido, por meio de porções levemente maiores de legumes e algumas frutas.

A terceira parte da dieta do carboidrato, a Fase de Pré Manutenção, recebe um pouco mais de hidratos de carbono, por meio dos pães, leites, frutas e batata, mas ainda com muita moderação. Essa fase pode se prolongar por até três meses.

Por fim, na fase quatro, da Manutenção, pode-se comer de tudo, mas a ideia aqui é que a pessoa consiga manter a dieta, mesmo que de uma forma mais livre e menos restritiva.

 

Confira a lista de carboidratos

Veja a lista de carboidratos com os alimentos mais comuns, qual a quantidade do nutriente em gramas a cada 100 gramas do alimento e quantas calorias representa:

  • Bolacha maisena: 72,0 g – 436 calorias
  • Torrada integral: 62,6 g – 364 calorias
  • Bolacha de água e sal: 61,6 g – 451 calorias
  • Pão francês: 57,3 g – 289 calorias
  • Pão de centeio: 56,4 g – 263 calorias
  • Arroz: 28,0 g – 127 calorias
  • Macarrão: 19,9 g – 101 calorias
  • Batata cozida: 18,5 g – 85 calorias
  • Ervilha: 18,1 g – 63 calorias
  • Grão-de-bico: 16,7 g – 121 calorias
  • Lentilhas: 16,7 g – 108 calorias
  • Feijão: 14,0 g – 91 calorias
  • Soja: 7,5 g – 40 calorias

A partir do momento que a pessoa começa a fazer a dieta de carboidratos, o consumo de alimentos que contenham esse nutriente cai drasticamente.

Os hidratos de carbono são o combustível primordial do organismo e, por isso, é comum que nos primeiros dias da dieta a pessoa sinta dor de cabeça, tontura, irritação e, principalmente, fraqueza, pois está sem energia.

No entanto, o organismo se vê obrigado a buscar outras fontes de energia e entra em estado de cetose, que é quando faz uso da gordura acumulada no organismo como o seu novo combustível. Por isso que a dieta emagrece, já que o corpo vai usar essas reservas para funcionar de maneira adequada.

Para tanto, as células de gordura são quebradas, o que resulta em um subproduto, corpos cetônicos, que entram na corrente sanguínea e são muito ácidos. Por isso, os rins precisam trabalhar mais, para eliminar essa acidez do organismo, que é maléfica. Para ajudar nesse processo, é importante ingerir muita água por dia.

 

Dicas para a dieta do carboidrato

Assim como as demais dietas do tipo low carb, a dieta do carboidrato é defendida por muitas pessoas que conseguiram emagrecer e chegar ao peso desejado. No entanto, é preciso saber de todos os perigosos que o organismo está sujeito quando faz uma mudança tão brusca em seus hábitos alimentares.

Isso não quer dizer que não é possível emagrecer com saúde por meio da dieta dos carboidratos, mas é preciso estar muito atento a todos os alimentos que forem ingeridos. Além disso, embora não seja algo muito lembrado nessa dieta e em outros métodos semelhantes que são restritivos, ao eliminar um nutriente do cardápio, é essencial cultivar bons hábitos.

 

O foco na restrição dos alimentos

As dietas desse tipo focam muito na restrição dos alimentos, que são considerados vilões, mas se esquecem de lembrar como é importante comer devagar, mastigar bem os alimentos, dormir em torno de oito horas todas as noites, praticar atividades físicas, ter momentos de lazer, etc.

Mais do que perder peso, uma dieta ideal deve mostrar a importância de cultivar bons hábitos, não só alimentares, mas para o dia a dia, a fim de adquirir uma maior qualidade de vida. Dessa forma, é possível emagrecer também, mesmo que os resultados não sejam tão rápidos.

 

Considerações finais

Vale lembrar ainda que se a dieta do carboidrato não for seguida de forma permanente os quilos perdidos podem voltar. E nisso a dieta do carboidrato peca mais uma vez. O método não ensina a mudar de hábitos, o que ajudaria aos seus adeptos não regredirem.

Se quem fizer a dieta a realizar por obrigação, querendo que ela logo termine e ficar com vontade de comer o que não pode será difícil de manter o cardápio equilibrado por muito tempo. Além disso, logo no começo da dieta, quando os carboidratos são eliminados, é um choque para qualquer organismo acostumado a consumi-los com regularidade.

De qualquer forma, é possível apenas reduzir a quantidade de carboidrato e dar preferência aos alimentos mais saudáveis que o possuem, sem a necessidade de mudanças bruscas que por si só não são benéficas.